RIO – Diante dos novos casos de dengue que não param de surgir, circulam pela internet, com a mesma velocidade, diferentes complexos homeopáticos apresentados como capazes de prevenir a doença ou ajudar na cura, caso o paciente já tenha sido infectado, conforme reportagem publicada no jornal “O Globo”. Contrário à divulgação desses medicamentos, o presidente da Sociedade de Homeopatia do Estado do Rio de Janeiro, Antônio Carlos Silva Oliveira, diz não existir base científica sobre a existência de fórmulas, da alopatia ou da homeopatia, capazes de evitar a doença:

– Há medicamentos da homeopatia que atuam em sintomas semelhantes aos da dengue, mas não existe nada provado cientificamente de que haja um medicamento eficaz na profilaxia. Mas sou a favor de que o tratamento do paciente já sintomático também seja feito com a ajuda da homeopatia.

” As pessoas que tomaram não tiveram dengue. Ele previne a doença e ajuda na cura de que já está doente. “


Autora de um complexo, a homeopata Ana Teresa Doria Dreux, vice-presidente do Instituto Hahnemanniano, diz que o medicamento que criou, há nove anos, previne a dengue. O complexo é distribuído entre os funcionários do instituto, amigos e parentes, que, simplesmente, não contraíram dengue. Mas ela diz garantir a eficácia apenas desse complexo:

– As pessoas que tomaram não tiveram dengue. Ele previne a doença e ajuda na cura de que já está doente. Quanto às outras fórmulas, não posso opinar, pois a homeopatia é uma ciência de base experimental. Posso falar apenas sobre a minha experiência.

O vice-presidente da Federação Brasileira de Homeopatia, Antônio Carlos Freitas, afirma que medicamentos da homeopatia podem ser eficazes na prevenção à dengue por conseguirem estimular as defesas do organismo contra o vírus e impedir a baixa de plaquetas. Mas, é cauteloso ao se referir aos complexos divulgados:

– Não existe apenas um complexo. Por isso, é preciso que a pessoa procure um homeopata para que indique um medicamento.

Anúncios