A Homeopatia hoje muito conhecida no nosso meio como terapêutica eficaz e precursora do novo paradigma de “curar” encontrou em Miria de Amorim, homeopata há trinta anos e pesquisadora na área, uma grande colaboração.
Esta colaboração fruto de cerca de vinte e cinco anos de pesquisa denomina-se FAO ou Fatores de Auto Organização. O FAO é uma nova técnica de aplicação da homeopatia e consiste no uso de sete medicamentos homeopáticos, bastante conhecidos pelos homeopatas, estudados através da experimentação e descritos com detalhes nas matérias medicas de homeopatia.
Miria de Amorim, estudando e pesquisando sobre diversas fontes ligadas a conhecimentos antigos, passa a relacionar estes medicamentos às substancias descritas pelos antigos alquimistas que já entendiam que o ser humano teria em si uma jornada a ser feita de forma consciente ou não em busca do auto-conhecimento, ou seja, da compreensão mais profunda do próprio ser que eles chamavam de “Pedra Filosofal”.
O FAO é um convite ao ser, através do despertar de nossa memória primordial ou biocampo, relembrando a cada um quem É, (a real identidade da pessoa, uma criação harmoniosa). Os sete elementos utilizados e preparados segundo o método homeopático interagem entre si em equilíbrio e harmonia, podendo despertar no individuo que o utilizou a sua capacidade inata de auto-organizar-se.
O método FAO segue rigorosamente todos os princípios homeopáticos preconizados por Hahnemann (criador da homeopatia), assim como permite acompanhar na evolução do paciente todas as leis de cura proposta por Hering (criador das leis de cura homeopáticas) e as teorias miasmáticas, o que torna muito claro e seguro o seu uso. Os usuários do método FAO assim como os profissionais que o aplicam sabem que este método traz cada vez mais resistência orgânica, melhor clareza emocional e possibilidades de recriar as próprias escolhas, desprogramando os padrões de crença que levam ao adoecimento. Portanto, o método FAO surge como mais um método de tratamento que visa à cura integral dos mais diversos males de que padece o ser humano, ao mesmo tempo em que desperta a possibilidade de reorientação no sentido da escolha consciente de sua própria vida como ser integrado a um todo, participante e responsável pelo destino do nosso planeta. O método FAO também pode ser aplicado em veterinária e nas plantas. A agrohomeopatia FAO conta hoje com uma pesquisa de mais de cinco anos numa fazenda modelo no município de Friburgo no Rio de Janeiro. Alias, foi com o uso do método FAO nos grandes intoxicados por solventes e por agrotóxicos que este método firmou-se dentro da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Dispomos em Salvador de alguns profissionais médicos e veterinários que trabalham com este método que nos conecta com a vida, a auto-organização, mudança de padrões de crença e de adoecimento. Essa é uma escolha para aqueles que optam pela verdadeira jornada da alma em lugar do mero desaparecimento dos sintomas.
O novo paradigma proposto coloca o ser humano cada vez mais apropriado da responsabilidade por si próprio, dono das suas escolhas e capaz das mudanças necessárias para reconquistar sua saúde, vivenciando o mundo como um todo integrado para que os interesses coletivos possam sempre superar interesses pessoais e possamos sentir a todos como irmãos, sejam eles bicho, planta ou gente, antes que seja tarde!

Maiores informações sobre o método FAO podem ser encontradas no site http://www.homeopatiafao.com.br.
E também no site http://www.saudedoser.com.br escrito por outra aluna da Drª. Míria de Amorim.

Anúncios