Objetivando a reharmonização e o redimensionamento do Ser providenciando para que aconteça o reencontro consigo mesmo, a Homeopatia apresenta-se como medicina preventiva por excelência.

Todos nascemos com alguns – defeitos de fabricação -, ou seja, predispostos a um determinado número de doenças herdadas de nossos ancestrais. Calcula-se que oitenta por cento de nossas possibilidades patológicas já estão inscritas em nossos géns ao nascermos e irão manifestar-se ao longo de nossas vidas com precocidade, freqüência e intensidade variáveis de acordo às oportunidades que a eles oferecermos. Portanto, na grande maioria das vezes, do recém nascido ao idoso, o adoecer é uma decisão nossa.

Optamos pela desarmonia de nossos filhos quando a eles oferecemos, e a qualquer hora, acesso a alimentos inadequados (açucares e gorduras em excesso, carnes com hormônios, refrigerantes, excitantes como o café, droga como o chocolate que gera bem estar e dependência predispondo-os no futuro ao uso da maconha e outras drogas), quando nos omitimos em relação a direcionamentos saudáveis (exposição excessiva a telas de TV e computadores cujas radiações, além de causarem catarata precoce, desorientam moléculas de ferrite alojadas em células cerebrais induzindo letargia) quando permitimos que inundem-se de mensagens que excitam seus instintos erótico-agressivos que contribuem para impedir e desviar o seu processo de maturação como sujeito, remetendo-os a níveis insuportáveis de destrutividade e medo (desenhos, novelas, filmes, vídeo games, etc.) quando lhes damos maus exemplos com hábitos nocivos (cigarros, bebidas, excessos alimentares, sedentarismo), quando não damos a eles todo o carinho que necessitam, quando impomos nossos desejos e vontades fundamentados em nossa história de vida eivada de neuroses familiares, culturais, religiosas e sociais. Sem dúvida, viver constitui-se em uma grande aventura.

Saídos da infância, enfrentam uma proposta de adolescência distorcida pelas cobranças narcisistas dos grupos, onde o parecer e o ter são apresentados como valores essenciais e o ser é deixado de lado. A super proteção familiar, temerosa de desvios sexuais, drogas e violência, reforça-se e envolve-os, as oportunidades de iniciação ao trabalho escasseiam e assim têm retardada a saída da adolescência em pelo menos um setênio quando comparados às gerações anteriores.

Na idade adulta, já suficientemente estimulados pelo social e pela mídia para se transformarem em vencedores clássicos, reforçam-se os sentimentos egoísticos de vencer a qualquer custo, ficando para trás o saudável compartilhar. O romântico compartilhar é substituído pelo destruir para vencer e após serem sugados pelas empresas e pela sociedade em seu período mais produtivo, o ser é descartado no momento exato que adentra à idade reflexiva, momento em que percebe o grande engodo. A sagaz observação de um renomado psicanalista, há anos atrás, de que as pessoas chegam à idade adulta cada vez mais tarde e começam a envelhecer cada vez mais cedo é bastante pertinente. Estressados, as possibilidades de doenças começam aflorar, obesidade, hipertensão, diabete, enfarte, câncer, aparecem em faixas etárias cada vez mais precoces e com maior violência, conseqüência da tensão gerada pelo assim chamado mundo civilizado, contemporâneo, globalizado.

É nesse universo de probabilidades e erros que movem-se as ciências médicas, é – atrás desse prejuízo – que correm os médicos, auxiliados por paramédicos, biólogos, farmacólogos, químicos, físicos, etc. Patologias que muito bem poderiam ser evitadas ou retardadas em seu aparecimento, destroem, inutilizam, incapacitam, diminuem o prazer pela vida.

Mas tempo é dinheiro, trabalhar, conseguir, vencer. Ter. Ter mesmo à custa do sacrifício do outro é a pseudo-ética que infelizmente rege a sociedade hegemônica do momento. Desemprego, pobreza, violência, não parecem sensibilizar os empedernidos donos do poder real (econômico) ou virtual (político).

A Homeopatia, medicina do sujeito, é a medicina preventiva por excelência para o caos que hoje experenciamos. Ao iniciar um movimento que conduz o ser a um redimensionamento do seu sentir e pensar, ajuda-nos a identificar e corrigir as distorções físicas e psíquicas que nos levaram à desarmonia, transforma-nos em sujeitos de nossas vidas, a Homeopatia trabalha o doente que somos, minimizando nossas doenças, transformando-nos em seres mais participativos, construtivos, abandonando posicionamentos egoístas e destrutivos. Instituída como tratamento em qualquer fase da vida ajudará o ser a reorganizar-se, prevenindo assim uma série de dissabores que poderão impedir o vivenciar de uma existência plena.

Anúncios