A Homeopatia é baseada no princípio da semelhança, ou seja, uma substância que causa os sintomas de uma doença (doença artificial) pode ser usada em doses mínimas para curar os mesmos sintomas em um indivíduo doente (doença natural), com aqueles mesmos sintomas. 

Trata-se de uma especialidade médica relativamente nova. Seus princípios foram expostos por Samuel Hahnemann no final do século XVIII, e está baseada na cura pelo semelhante (Similia Similibus Curentur). Isto quer dizer, que uma substância capaz de produzir determinada alteração (sintoma) em um indivíduo são, teria a capacidade de curar esta alteração, em uma condição de doença, quando dada em doses pequenas. Como exemplo de fácil compreensão, é o caso do café. Todos conhecem sua ação excitante do café, a insônia, a inquietação que ele pode produzir. Bem, se nós administramos o café em doses infinitesimais àqueles pacientes que tem este mesmo quadro de insônia, estes mesmos sintomas desaparecem como por encanto.

A Homeopatia é baseada no princípio da semelhança, ou seja, uma substância que causa os sintomas de uma doença (doença artificial) pode ser usada em doses mínimas para curar os mesmos sintomas em um indivíduo doente (doença natural), com aqueles mesmos sintomas.

No Brasil, o reconhecimento de sua eficácia vem desde da época do Império, mas só em 1980, é que ela foi reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, e em 1990 passou a constar do Conselho de Especialidades Médicas da Associação Médica Brasileira, deixando assim de fazer parte das terapias alternativas.

Ela utiliza substâncias dos reinos vegetal, animal e mineral para a feitura dos seus medicamentos em doses mínimas. Sua abrangência vai desde a infância até a velhice, podendo ser tratados desde os transtornos funcionais leves, até as doenças mais estruturadas e graves, assim como as desordens mentais de toda índole e grau de severidade.

O tratamento pelo princípio da Homeopatia implica no uso de substâncias em doses mínimas (pequenas) oriundas dos três reinos.

Na Homeopatia não existe remédio para alergias, asma, infecções, etc. O que existe é um tratamento para o paciente alérgico, para o paciente asmático, ou seja procura identificar o desequilíbrio de cada ser que está enfermo, e como cada um demonstra sua doença, através de sua maneira particular e única no seu sofrer. No caso de uma amigdalite, por exemplo, os sintomas de dor, mau-hálito, febre, são comuns neste quadro infeccioso. Só com estes sintomas, o Homeopata não poderá tratá-la. Mas quando um paciente começa a referir que a dor de garganta piora quando engole líquidos, mais do que com sólidos, e também com alimentos quentes, esta amigdalite começa a ser diferente da de outro que relata doer mais quando engole sólidos, e alimentos frios. Para a Alopatia, um único antibiótico bastaria. Para a Homeopatia não, a seleção de medicamentos para o exemplo acima, será de medicamentos diferentes para cada um deles, pois cada um está demonstrando no mesmo processo
infeccioso, sintomas particulares de cada um.

A Homeopatia trata o indivíduo, levando em conta suas características físicas e emocionais. Ela também tem como particularidade a terapêutica individual; um medicamento é bom somente para aquele doente com aqueles sintomas.

Para o médico homeopata, a Clínica é soberana. Antes de ser homeopata, o médico tem de ser um perfeito Clínico Geral, que se utiliza de sua experiência em detectar sintomas pela ausculta, pelo tato, pela visão, e etc…

O homeopata tem de ser treinado para, no uso de seus conhecimentos e bom senso, localizar o fator desencadeante do estado atual de seu paciente, da gravidade deste estado…

Anúncios